É o cereal com mais quente e com mais gordura, por isso, é o mais indicado para pessoas que necessitem de aquecer e de aumentar de peso; a aveia é também muito boa para bebés e crianças, assim como mães em período de aleitamento.
Normalmente conhecemos a aveia sob a forma de flocos mas esta pode (e devemos dar preferência) à aveia em grão pois que os grãos têm muito mais energia. Basta pensar que os grãos germinam e os flocos nem a farinha o fazem.
Deixo-vos duas receitas de aveia que podem ser consumidas tanto como pequeno-almoço ou como sopa, a consistência varia consoante a necessidade e o gosto de cada um.
Mas acima de tudo vos alerto que para aproveitarmos melhor a energia deste, e de outros cereais, deve ser consumida salgada ou seja sem a adição de adoçantes, podendo ser temperada com um pouco de sal marinho, shoyu (molho de soja) ou de vinagre de umeboshi (que substitui o sal, não é acido).
Receita de papa de aveia em grão
1 copo de aveia em grão de preferência demolhada (entre a 2 as 24h)
5 copos de água
1 colher de sobremesa de sal
-Pode-se cozinhar na panela de pressão -1h;
-Ou em panela aberta, com chama baixa durante 2 a 3 horas ou mesmo toda a noite (neste caso em chama muito, muito baixa e com uma placa difusora).
No final, mexer, ver há necessidade de colocar mais água e de apurar mais um pouco ou se está pronto a consumir.
Este é um riquíssimo pequeno-almoço para toda a família.
Papa de aveia integral em flocos
40gr de flocos de aveia
150 a 200ml de água
1 colher de chá de sal
Quando a água estiver a ferver, coloca-se o sal, misturam-se os flocos na panela e mexe-se até que ferva de novo.
Cozinhar em lume baixo por 15 a 30mn (quanto mais cozinhar, mais digestivo se torna) mexendo de vez em quando para não pegar no fundo.
Servir com shoyu (molho de soja), vinagre de arroz, ervas aromáticas, etc
É importante que os flocos sejam de aveia integral
Bom e Vitalizante Apetite
Paula Perdigão

Publicado em Cereais
domingo, 14 May 2017 22:21

Cereais integrais o que são?


Hoje vamos recordar a importância dos cereais integrais
Começo por relembrar que cereais integrais não são “chocopitos” nem farelos.
Cereais integrais são: arroz, aveia, cevada, centeio, espelta, quinoa, millet, massas, cuscus, pão, maçarocas de milho, flocos de aveia e muitos outros.
Os cereais integrais fornecem ao organismo uma nutrição adequada e recentemente descobriu-se que contêm serotonina, uma substância que acalma significativamente o sistema nervoso. Também, os açúcares presentes nestes alimentos são açúcares polissacarídeos, ou açúcares complexos, compostos por várias moléculas, que se desdobram lentamente no organismo e são absorvidos nos intestinos, fornecendo uma energia gradual e dando uma resistência enorme; quando comemos regularmente cereais conseguimos manter níveis de energia e vitalidade regulares e sentimo-nos muito menos cansados.
Componentes dos cereais integrais:
A camada externa rica em fibra: o farelo;
A camada externa do cereal tem quantidades concentradas de vários nutrientes: fibras; vitaminas B; minerais; proteínas; fitonutrientes (substâncias encontradas naturalmente nas plantas que fazem bem para a saúde);
A parte intermediária rica em nutrientes: contém: carboidratos; proteínas; pequenas quantidades de vitaminas B;
A parte interna é rica em nutrientes, minerais e vitaminas: o gérmen que é rico em nutrientes. O gérmen se transforma em uma nova planta e, portanto, contém ricas reservas de importantes nutrientes: minerais; vitaminas B; vitamina E; fitonutrientes (substâncias encontradas naturalmente nas plantas que fazem bem para a saúde).
Cada parte do cereal integral contém seus próprios tesouros nutricionais, mas é a combinação de todas as partes que trazem os benefícios do cereal integral. Assim, ingerindo alimentos que contém cereais integrais, obtemos todos os benefícios adicionais dos nutrientes que não podem ser fornecidos só pela fibra.
Se analisarmos a história, a Humanidade evoluiu com os cereais e não existe nenhuma cultura civilizada que não tenha utilizado os cereais como alimento principal: na Europa o trigo, a cevada, o centeio, o milho, em África o millet e o arroz, no Oriente o arroz, na América Latina o milho.
A nossa estrutura biológica, e particularmente a estrutura dentária e intestinal mostram que os cereais são o alimento por excelência da espécie humana: temos 32 dentes, dos quais 20 são molares (concebidos para moer grãos), 8 são incisivos (para cortar fibra vegetal) e 4 são caninos (para cortar fibra animal); os nossos intestinos são relativamente longos, muito maiores do que os intestinos de um animal carnívoro e mais pequenos do que um herbívoro e têm uma estrutura adequada para digerir particularmente a fibra dos cereais.
Infelizmente, e em particular desde a II Guerra Mundial o consumo destes alimentos decresceu de uma forma muito acentuada; não apenas isso, mas a qualidade dos cereais modernos é francamente má e a maioria das pessoas acaba por comer apenas pão branco, completamente desprovido de vitaminas importantes do complexo B e de proteínas, ou arroz ou massas refinadas, também deficitárias nos mesmos nutrientes. Sem esquecer as misturas que se fazem com os mesmo como açúcar, corantes, aromatizantes e conservantes de péssima qualidade.
Não é de admirar a aumento cada vez maior de pessoas com alergias como a intolerância ao glúten.
Apesar que é crescente a informação sobre a importância dos cerais integrais, é grande o risco de cairmos no conto do vigário com artigos que nos são apresentados pela indústria alimentar com artigos onde em muitos casos a sua qualidade é duvidosa e os cereais são acompanhados de enormes quantidades de açúcar, lacticínios e outros alimentos que provocam muitas das doenças que os cereais supostamente previnem.
Em breve deixarei mais dicas específicas sobre os cereais.
Bom e vitalizante Apetite
Paula Perdigão
Fontes http://www.gulosoesaudavel.com.br/2011/04/18/saiba-a-diferenca-entre-cereais-integrais-e-cereais-refinados/
E https://www.institutomacrobiotico.com/pt-pt

Publicado em Cereais
terça, 07 March 2017 11:25

Mastigar e Ensalivar bem porquê?

 

Mastigar e ensalivar bem porquê?
“Se a Terra é nossa mãe, os grãos, quando completamente mastigados, são nosso leite materno”
Françoise Rivière
Na rúbrica de hoje na Rádio do Concelho de Mafra recordei a importância da boa mastigação e da ensalivação. Digo recordei, porque todos aprendemos na escola esta necessidade básica, mas a correria da vida e o excesso de estímulos nos fazem literalmente atropelá-la.
A atitude que temos ao comer, ou seja, a mastigação e a ensalivação é tão vital como os alimentos que escolhemos para comer.
Os orientais consideram que a saliva é um líquido fortemente carregado com energia electromagnética e que tem propriedades curativas, pelo que devemos fazer um esforço para ensalivar bem os alimentos ingeridos.
Sim, uma boa digestão começa com a mastigação.
Na realidade, o processo da digestão dá os seus primeiros passos quando começamos a ver e a cheirar os alimentos, daí a expressão popular “comemos com os olhos”.
Quando os colocamos na boca, por acção da saliva e da enzima ptialina, começamos a desdobrar os hidratos de carbono complexos em hidratos de carbono mais simples. E quem mastiga mesmo bem, apercebe-se que alimentos como a cebola, cenoura ou arroz, se tornam cada vez mais doces. (O que confirma a questão que eu falo sempre, que os cereais e legumes são os açúcares complexos que verdadeiramente precisamos). Em seguida, os alimentos são digeridos no estômago, onde as proteínas começam a ser desdobradas em aminoácidos, por acção da pepsina e do ácido clorídrico. Posteriormente no duodeno, por acção dos sucos pancreáticos e biliares digerimos as gorduras e na fase final da digestão, no intestino delgado, finalizamos a digestão dos diferentes nutrientes.
Uma mastigação e ensalivação cuidadas trazem enormes benefícios Vitalizantes para a saúde, para além da melhoria da digestão (um problema tão atual):
- Redução do volume de alimento necessário - obtemos o máximo de nutrição a partir de uma quantidade menor de alimento, diminuindo o apetite, contribuindo para o desinchaço do estomago e redução de peso;
- Maior calma e relaxamento - Mastigar bem é um dos melhores tratamentos anti-stress existentes;
- Clareza de pensamento e raciocínio Se respirarmos adequadamente quando mastigamos, o cérebro é mais irrigado com oxigénio e consequentemente pensamos de uma forma mais clara. Esta questão é confirmada na língua japonesa, com a palavra “mastigação” que significa "boa compreensão";
- Menos desejo de comer açúcar e doces em geral – Como já falei anteriormente, ao desdobrarmos convenientemente os açúcares complexos em açúcares simples, sentimos menos vontade de comer doces e sobremesas;
- Criação de uma condição mais alcalina no corpo - . A saliva é um líquido fortemente alcalino que quando bem misturada com a comida contribui para um ph mais alcalino, um corpo saudável e Vitalziante. (Uma alimentação baseada em produtos animais e açúcares simples tende a criar uma condição mais ácida);
-Dentes e gengivas mais fortes – A boa mastigação, o bom uso dos dentes, origina a uma condição mais alcalina na boca contribuindo para a saúde das gengivas e dos dentes;
- Maior capacidade de auto-cura - Pessoas que mastigam bem têm uma muito maior capacidade de recuperar de problemas de saúde.
Mastigar pelo menos 30 vezes cada garfada e pousar os talheres entre cada garfada; de forma a estimular bem os dentes e gengivas e ter uma boa digestão mastigar duma forma espirálica, utilizando todos os dentes.
É de salientar que para uma boa e Vitalizante mastigação há que comer com calma, sentado, com a coluna direita e descontraído, respirar profundamente evitando estímulos externos como a televisão, o telemóvel, etc. A bem dizer, o momento da refeição é aquele momento que devemos dedicar a nós, como uma meditação ou que aproveitamos para estar com os nossos ente-queridos.

Uma caminhada de dez minutos depois das refeições, também nos ajuda bastante na digestão e na revitalização do nosso corpo.
Estas práticas que na maioria das vezes são ignoradas por diversas razões da nossa sociedade actual, são um investimento Vitalizante na nossa saúde pois quem se dispuser a gastar mais tempo a comer e a mastigar melhor, receberá inúmeros benefícios no seu bem estar físico e clareza mental e terá muito mais energia para enfrentar os desafios da vida.
Bom e Vitalizante apetite
Paula Perdigão
(fontes http://www.institutomacrobiotico.com/pt-pt)

 

 

Publicado em Artigos

Evento

  • Conversa Aberta Malveira
    Conversa Aberta Malveira Amigos Vitalizantes Nada melhor para começar este novo ciclo de vida (mais um Outono e mais um Inverno) que novos espaços para divulgar a Culinária Vitalizante e Educativa.Por isso, vos convido para o novo projeto…
Portuguese English French Spanish

Newsletter